04
Ter., Ago.
1 Artigos Novos

Hortofloricultura

O Alho da Graciosa foi registado como Identificação Geográfica Protegida (IGP). Isso contribui para a notoriedade do produto, diz o Secretário Regional da Agricultura e Florestas dos Açores, João Ponte.

O Instituto de Alimentação e Mercados Agrícolas (IAMA) publicou o pedido de registo do Alho da Graciosa IGP para a fase de consulta pública, que decorrerá durante 30 dias. Não havendo oposição, o pedido de registo seguirá para a Comissão Europeia, através da DGADR — Direcção-Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural.

A denominação IGP pode constituir uma proteção para a cultura do alho e trazer mais valias aos produtores, ao mesmo tempo que ajuda a promover oportunidades de negócio e a contribuir para a economia da ilha.

A Graciosa tem excelentes condições naturais para a produção de alho, bem como infraestruturas capazes de responder ao crescimento da produção. Existem cerca de uma dezena de produtores a trabalhar uma área aproximada de sete hectares, com uma produção de aproximadamente 25 toneladas anuais.