25
Dom., Out.
5 Artigos Novos

Biodiversidade

A Escola Secundária Josefa de Óbidos recebeu mais de 40 professores para conhecerem “in loco” o projeto “Germinar um banco de sementes”.

O projeto, que visa criar um banco de sementes físico e com um website de promoção à troca de sementes, envolvendo alunos, professores, educadores e comunidade local, está também a concluir a construção de um espaço apto à germinação e recolha de sementes, assim como de frutos e legumes.

Apresentado o projeto, os conteúdos e materiais pedagógicos de algumas aulas e as questões práticas do trabalho na horta, os participantes ainda tiveram tempo de replantar algumas variedades já germinadas na horta da escola.

Segundo o Agrupamento de Escolas Padre Bartolomeu de Gusmão (ASPEA), “para a maioria dos visitantes, o momento-chave foi quando a Margarida (aluna participante no projeto) partilhou o seu testemunho de alegria por ter colocado as mãos na terra ao construir aquela horta”.

As visitas decorreram integradas nas XXVI Jornadas de Educação Ambiental, organizadas pela ASPEA (Associação Portuguesa de Educação Ambiental), este ano sob o mote "A Educação Ambiental como processo (trans)formador para a construção de eco comunidades".

O programa terminou com um desafio proposto aos presentes, de adotarem e partilharem sementes através do banco de sementes e de garantirem a biodiversidade das mesmas, entregando-se uma amostra a cada participante.

 Sobre o projeto

Envolvendo os alunos, professores, educadores e a comunidade local, com a construção de uma horta, e usando a troca e multiplicação de sementes como mote, pretende-se fortalecer o sentido de comunidade e promover a consciencialização de questões ambientais amplas, como: a recuperação da biodiversidade de ecossistemas naturais e agrícolas; promoção de espécies e variedades tradicionais portuguesas; promoção da descarbonização; e a promoção do consumo crítico e da economia circular (reduzir, reutilizar, reciclar).

O projeto é desenvolvido pela associação margens simples com o Agrupamento de Escolas Padre Bartolomeu de Gusmão e o Banco de Sementes A.L. Belo Correia, instalado no Museu Nacional de História Natural e da Ciência, e os parceiros projeto “ReSeed, rescuying seeeds’ heritage” (Universidade de Coimbra), Living Seeds - Sementes Vivas SA, Valorsul e Carmo Wood.

Germinar banco de sementes2

 
O projeto é composto por seis ações, dentro e fora da escola:

1. Formação e sensibilização para Bancos de Sementes, para um público de 258 alunos – 2.º e 6.º ano – das Escola Primária Ressano Garcia e Escola Secundária Josefa de Óbidos. Com caráter quinzenal, professores e alunos têm-se envolvido ativamente nas ações dentro e fora do espaço da sala de aula.

2. Criação de “um arquivo de sementes”, que terá um repositório físico e a criação de uma plataforma digital, onde o património genético pode ser pesquisado segundo critérios específicos e requisitados, fomentando a circularidade das sementes. Em breve estará online.

3. Três entidades serão as “agências” do projeto escola junto da comunidade local, disponibilizando o material genético e servindo de ponto de recolha, a quem pretenda “doar” sementes.

4. Criação de dois estufins para a germinação e cerca de 110m2 de horta, com mais de 35m2 em camas elevadas, no pátio da Escola Josefa de Óbidos. Aqui os alunos podem ter um contato direto com a terra e adquirir um conhecimento pela prática, com o envolvimento direto desde o planeamento e construção até à gestão e recolha.

5. Realização de uma exposição no início do ano letivo 2020/21.

6. Produção de um manual “em dispersão”, um documento que compila as dinâmicas metodológicas do projeto e conhecimento adquirido. Pretende-se potenciar a dimensão educativa da informação ambiental recorrendo a uma linguagem compreensível e acessível, sem perder o rigor científico.